terça-feira, 29 de setembro de 2009

Juiz de Fora

Comi o famoso torresmo do Bar do Bigode, os 3 tipos: torresminho, tira e a ponta! Assim, realizei um sonho que surgiu desde o primeiro momento em que fiquei sabendo que seria o responsável por dar suporte ao escritório da AIESEC na cidade mineira ou ‘’esquina do Rio’’.

Cidade boa, muito agradável, já até marquei minha volta: 23 de Outubro. Retomando o torresmo: sinceramente fiquei feliz em experimentá-lo, ainda mais acompanhado de Itaipava gelada e acima de tudo, boas companhias. Mas o torresmo está longe de marcar minha vida. O que marcou minha vida foram as pessoas que conheci. Antes de fazer meu trabalho como coach, fui incumbido de ser o Chair, responsável por conduzir (ou pelos menos tentar) um evento – no caso, a conferência de recepção aos membros novos da AIESEC em Juiz de Fora, vulgo Discovery Days.

Que final de semana maravilhoso! A começar pelo local, uma chácara (ou granja para os nativos). Uma casa grande, com piscina, jardim, karaokê, animaizinhos (macaco, araras – ambos em jaulas, cachorros e gato). Nada demais, tudo normal. Jamais! Normal? Não para quem vive em São Paulo. Tive a oportunidade de ver estrelas e o céu azul. Os sons dos pássaros e das folhas nas árvores se mexendo substituíram as buzinas e o alarme do metrô – aquele que avisa que porta irá fechar. Eu respirei ar! Juro!

Conheci um pouco mais sobre a história da AIESEC de Juiz de Fora. O início foi em 2007, quando um grupo formado por 9 jovens quis fundar a organização na cidade. Muitas dificuldades e derrotas foram vividas desde então. Mas, acima de tudo muita luta e paixão estava envolvida em cada obstáculo superado. Hoje, em 2009, uma nova geração está chegando para dar continuidade ao trabalho daquelas pessoas e fazer o sonho dar cada vez mais certo. E tem dado muito certo por sinal. A paixão continua e, obviamente, a luta não cessa. Hoje a AIESEC JF tem mais de 30 membros e está perto de realizar 20 intercâmbios. 20 vidas mudadas a nível internacional, outras dezenas afetadas positivamente pelas experiências que a organização oferece a nível nacional e local.

Em uma das sessões, a história toda foi recordada. No início, eu estava mexendo nas minhas planilhas de Excel, trabalhando. Quando resolvi prestar atenção no que estava acontecendo, larguei tudo na hora. Aproximei-me de todos. Sentimentos do passado se confundiram com os desejos para o futuro e a realização do presente. Naquele momento, vi pessoas se emocionando, ao cruzar acontecimentos da vida pessoal com a AIESEC, pessoas manifestando identificação com a instituição e gratidão pelos seres humanos que construíram toda essa bela história. Fui contagiado por algo superior, uma energia mais forte do que qualquer palavra. Não consigo descrever, apenas recordar as belas emoções que senti. Fui surpreendido.

Novamente, tive que agradecer pela oportunidade que recebi. Agradecer por ter conhecido cada um que estava lá. Por ter passado momentos de diversão e aprendizado. Por ter ganhado mais energia ainda para continuar lutando pelos meus sonhos e pela AIESEC. Chorei de alegria novamente.

Obrigado a todos os membros da AIESEC em Juiz de Fora pelo carinho, por todos os momentos de alegria, pelas risadas e por fazer a diferença na minha vida. Contem sempre comigo. Sempre mesmo! E em breve, estarei novamente ao lado de vocês.Do fundo do meu coração, desejo muito sucesso a todos.

Um grande beijo e forte abraço,

Bona.