quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Valeu demais...

Queridos leitores, este blog ficará parado até início de Janeiro/2011. Embarco agora em uma aventura pela Europa (15 países, 20 cidades, 40 dias). Para acompanhar as experiências por lá, deixo aqui o endereço de meu novo blog: http://www.diguporai.blogspot.com – Um blog interativo onde os internautas participam ativamente da viagem. Confira! Retornarei com relatos da China, Tibet, Hong Kong e Indonésia - onde irei trabalhar por 3 meses. Obrigado!

Escrevo meu último texto na Mongólia em meio a lágrimas.

Há poucos minutos atrás presenteei meus aluninhos com pulseirinhas do Brasil. Foram 40 metros cortados minuciosamente, com todo o amor do mundo. Nada perto do amor e carinho que essas crianças me deram, conseguindo impedir que a saudade de casa batesse. Reconectar-me com a infância, a pureza de alguém que está aprendendo, conhecendo o mundo é algo único, inexplicável.
 Todo dia ao voltar do banco (de tarde), eu abria a porta de minha casa-escola e na mesma hora vinha um dos pequenos me abraçar. Sempre dizendo alguma palavra em inglês que tinha aprendido no dia anterior. “Umbrella”, “Orange”, “Hello how are you?”, “Circle”, “Rebolation” (só pra não perder a oportunidade). Uma rotina mágica que faz qualquer problema que o país possa apresentar tornar-se apenas detalhe. A escola era meu cantinho, meu paraíso. As crianças, meus amigos, meus filhinhos, meus irmãos mais novos. O que eu aprendi com esses pequenos, nenhuma faculdade ensina e nunca ensinará. Muita coisa reaprendi. E tudo isso me relembrou um texto que li quando visitei o Projeto Ação Moradia em Uberlândia no início do ano. Dividi-lo-ei com vocês:  

Ser criança

Ser criança
Na Inocência
Na adolescência
No tempo adulto
E na velhice

Ser criança
Saber brincar
Sonhar com a vida
E em nada pensar

Ser criança
Pensar em Deus
Agradecer ao Pai do Céu
Que a vida lhe deu
Ser criança
Se divertir
Estar alegre
Tentar sorrir

Ser criança
Saber buscar
O melhor pra vida
Sem se preocupar

Aproveitar o tempo a viver legal
Aprender coisas boas pra vida mudar

Ser criança, saber se educar
Ser criança, Ser natural.


A cada dia que passa, busco recuperar a plenitude da criança que sempre fui - respeitando todos a minha volta, mas olhando desconfiado para o desconhecido, mantendo a inocência de um eterno aprendiz e abrindo o maior sorriso do mundo depois de pequenas e simples conquistas. Despertar a criança que existe entre nós é despertar a alma, nosso verdadeiro eu, nossa pureza, nossa essência. É perceber que não gostamos de ficar parados, que precisamos de movimento, de ação, de sentido, de sorrisos! Mesmo quando recebemos “patadas” reagimos com um abraço. E essa é a maior arma de um ser humano: o Amor. Espalhemo-lo, portanto.

Não vou escrever muito. Deixarei alguns vídeos interessantes para vocês verem e um conselho: faça um intercâmbio! Saia da caixa!
Peço desculpas pela organização do texto, um filme imenso passou na cabeça ao escrevê-lo. A emoção é incontrolável, mas quero deixar o post assim, real.

Versão diferente de "Passarinho quer dançar e o rabicho balançar", famosa música de Gugu:


Dito e feito. Crianças da Mongólia aprendem e dançam Rebolation com mestre:


Mensagem final com apresentação cultural \o/


Bom, disse para você fazer um intercâmbio, certo? Na onda de poemas e belos textos, deixo aqui descrita uma música que marcou minha viagem, fez-me refletir e me forneceu motivação pra continuar buscando experiências marcantes:
Ando Devagar – Almir Sater

Ando devagar porque já tive pressa,
E levo esse sorriso, porque já chorei demais,
Hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe,
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei, ou 
Nada sei, conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs.
É preciso amor pra puder pulsar, é preciso paz 
Pra poder sorrir, é preciso a chuva para florir.

Penso que cumprir a vida, seja simplesmente 
Compreender a marcha, ir tocando em frente,
Como um velho boiadeiro, levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa estrada, eu vou,
Estrada eu sou...

Beijos e abraços.